Rise Against!

Publicado: 21 de dezembro de 2010 por Gabi em Gabi

“Na parede de um botequim em Madri, um cartaz avisa: Proibido cantar. Na parede do aeroporto do Rio de Janeiro, um aviso informa: É proibido brincar com os carrinhos porta-bagagem. Ou seja: ainda existe gente que canta, ainda axiste gente que brinca.”
Eduardo Galeano

Eduardo Galeano se expressou de um modo mais poético, mas ainda com o mesmo ponto de vista, venho defender a importância em existir a ala do contra, a da oposição. Seus componentes são as pessoas que mais ajudam o mundo a girar e que fazem as coisas acontecerem, ora criticando, ora refletindo, ora contradizendo, ora desobedecendo… Enfim, demonstrando que sempre, sempre mesmo, há um outro meio de fazer, um caminho diferente a tomar, uma nova possibilidade, uma segunda opção.
É pequena a parcela da população capaz de pensar pela “esquerda”, pois como regra, as pessoas apenas usufruem a praticidade de absorver instantaneamente o que lhes é repassado, ainda mais intensamente com o crescimento da mídia e aquela kal toda de manipulação em massa. Por outro lado, sempre existiram e, creio eu, sempre existirão aqueles que contradizem, ainda que vivêssemos na ditadura do Grande Irmão (vide 1984). Já faz parte da natureza humana essa essência desbravadora, intencionada a descobrir novos meios para fazer do melhor jeito, do seu jeito. Na verdade, aprendemos a ser assim pela seleção natural. Imagine só se todos os humanos fossem simples autômatos inertes… Nunca teríamos descido das árvores! Não existiria nada do que hoje vivenciamos por civilização. Não teríamos inventado fogo, nem roda, nem música, nem cachorrinho de estimação, nem calças jeans, nem Brasil, nem EUA, caneta, televisão (não que isso fosse algo assim tão ruim) ou escovas de dentes! Claro que isso não é aplicável na atualidade, mas a essência, o jeito de agir e de pensar, continuam os mesmos, é esse “instinto alternativo” que se faz tão importante.
A ciência é baseada nisso, os grandes cientistas foram os que provaram que o outro estava errado, tanto Darwin ao derrubar Lamarck (opa! talvez nem tanto assim! mas ainda está em fase de estudo…), como Pasteur o fez com Aristóteles e Copérnico com a Bíblia, por mais que as teses antigas já fossem amplamente aceitas. Mas também não há mal nenhum em errar, pois errando se dá a base para um próximo acertar, o importante é observar, criticar e agir.
Então, vida aos pensadores e revolucionários da nova geração!

Deixar uma Resposta?

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s